Devido à forte presença religiosa em nosso cotidiano, não é de se espantar que seja tão comum as pessoas sonharem com Anjos, Santos, Jesus, Deus, Padres, etc. Tais visões oníricas são frequentes e muito comum. No entanto, o significado e simbolismo de tais sonhos pode variar para cada pessoa.

Os sonhos de cunho mais místico ou religioso quase sempre ocultam significados ou simbolismo bem específicos para cada indivíduo. E, por isso, não se pode dizer que exista um significado exato e único para os sonhos com São Cipriano. O que irá determinar o seu simbolismo é o conjunto de fatores existenciais e oníricos. Ou seja, é preciso, em primeiro lugar, identificar os padrões psicológicos atuais. A nossa postura em relação ao mundo e o nosso comportamento em relação ao próximo, bem como ao que desejamos e queremos para nossas vidas, é de extrema valor para se chegar a uma conclusão sobre o significado de sonhar com São Cipriano.

Existem muitas orações de São Cipriano pela internet, sendo as mais comuns e utilizadas aquelas cujo objetivo é atrair riqueza, conquistas financeiras e dinheiro. Com isso em mente, é preciso analisar cada sonho em separado, pois a relação do sonhador com suas questões financeiras na vida desperta, são de muita utilidade para se chegar a uma conclusão.

Por exemplo, se a pessoa só pensa em dinheiro o tempo todo, em maneiras de ficar rico, de conseguir isso ou aquilo, etc, naturalmente irá criar um inquietação interior que poderá desencadear muitos problemas existenciais e até mentais. De modo que, nessa condição, a visão de São Cipriano no sonhos pode ser um alerta ou aviso para manter os pés no chão, ter fé e continuar a fazer um bom trabalho com paciência e perseverança. Nesse caso, quem teve esse sonho pode assimilar uma espécie de lição intuitivamente, pois naturalmente perceberá que a ansiedade e o impulso em conquistar bens materiais irá se acalmar.

Por outro lado, quem sequer pensa em conquistas financeiras ou materiais, mas que sonha com São Cipriano, então pode-se dizer que o sonho é um presságio positivo. E isso não significa que seja necessariamente presságio de dinheiro e riquezas, podendo também estar relacionado com um novo ciclo de vida com muitas novidades, um relacionamento ou uma conquista pessoal.

Para decifrar seu sonho com São Cipriano corretamente se faz necessário tirar o Ego da jogada, pois o Ego é quem nos deixa inquieta em com sede de conquista e poder. Quando não temos isso, naturalmente o sonho se encaixa num presságio positivo, onde novas ciclos começam a se manifestar em sua vida.

Mas lembre-se, a melhor oração que pode existir, seja qual for o objetivo, deve ser sempre direcionada para o Pai Interno de cada um. Todos nós temos um Pai Interno, que é a essência divina que, infelizmente está enfrascada dentro de diversos eus (Egos). Seja qual for sua oração, apele sempre ao Pai Interno, pois nunca sabemos em que estágio está esses supostos Santos do passado, pois alguns podem cair, de modo que a oração seja direcionada a um Demônio e não mais um Santo.

QUEM FOI SÃO CIPRIANO: DE BRUXO A SANTO

São Cipriano, de codinome “Feiticeiro”, é considerado o padroeiro das bruxas e das ciências ocultas. Acredita-se que ele tenha nascido em Chipre e vivido em Antioquia, uma região montanhosa da Ásia, hoje pertencente à Turquia. Ele nasceu em uma família abastada de crenças pagãs e foi incentivado desde criança aos estudos da feitiçaria e das ciências ocultas como a alquimia, astrologia, adivinhação e as diversas modalidades de magia.

Aos 7 anos, Cipriano já era um jovem mago, sabia invocar trovões, ventos, formar tempestades no mar e na terra. Aprendia feitiços e magias negras e iniciou-se nos mistérios das ciências ocultas. Viajou por muitos países de todo o mundo aprendendo e ensinando a feitiçaria. Após muitos anos viajando pelo Egito, Grécia e outros países aperfeiçoando seus conhecimentos, aos trinta anos de idade Cipriano chega à Babilônia a fim de conhecer a cultura ocultista dos Caldeus.

Mas a história de Cipriano mudou completamente na cidade de Antioquia, atualmente um sítio arqueológico na Turquia. Foi lá que ele conheceu Justina.

Justina era uma jovem rica e bela, que apesar de ter sido educada no paganismo tornou-se cristã e converteu os seus pais ao Cristianismo. Muito devota, Justina tinha fé inabalável em Jesus Cristo.

Quando chegou a adolescência, os pais de Justina queriam que ela se casasse com um jovem rico chamado Aglaide, que estava apaixonado por ela. Mas Justina não queria se casar, queria manter a sua virgindade. Aglaide, enfurecido, recorreu ao feiticeiro Cipriano, pedindo a ele que utilizasse os seus feitiços para fazer com que a bela donzela se entregasse ao matrimônio.

Cipriano fez um feitiço, nada aconteceu. Justina rebatia os feitiços de Cipriano com orações e com o sinal da cruz. Ele investiu tentações demoníanas sobre o corpo de Justina, usou pó da luxúria, ofereceu sacrifícios aos demônios mas nada teve eficácia.

A fé de Cipriano em sua fé pagã ficou profundamente abalada, e fez com que ele se voltasse contra o demônio e contra as ciências ocultas. Influenciado por um amigo cristão chamado Eusébio e impressionado com a força que Deus teve contra os seus feitiços aplicados em Justina, Cipriano resolveu se converter ao Catolicismo. Cipriano queimou os seus livros de feitiços e distribuiu os bens que tinha aos pobres. Justino e Cipriano então passaram, juntos, a pregar a fé cristã por Antioquia.